Terminator Salvation – Mini Review

junho 17, 2009 at 12:08 pm 9 comentários

Produtora: GRIN Distribuidora: Warner Bros. Interactive / Evolved Games

Gênero: Ação em 3º pessoa Plataforma: X360 / PS3 / PC  Analista: Fernando Landeira

Geralmente games baseados em filmes não são bons e são pouco apreciados até pelos fãs da franquia. Infelizmente, Terminator Salvation não se salva dessa maioria que está destinada ao fracasso. Com o lançamento ocorrendo junto do longa-metragem era de se esperar que a produtora GRIN não tivesse tempo para polir o jogo. É óbvio que isso resultou em um game com sérios problemas técnicos.

Desde o início do jogo a repetitividade assombra. Para ter noção você pode ver todos os três tipos de inimigos do jogo nas imagens deste review. O mais poderoso deles é o exterminador e os outros são os robôs vespas e aranhas. Para piorar a situação, o combate é limitadíssimo e você tem poucas armas à sua disposição. Imagine uma mecânica de jogo parecida com a de Gears of War só que sem o brilhantismo da obra prima da Epic, esse é Terminator Salvation.

Ironicamente, frente à essa sensação de déjà vu constante você irá ficar feliz em terminar o game em apenas 4 horas. Mesmo sendo corajoso e começando a jogar no Hard você não terá como passar mais de 5 horas na apocalíptica L.A. Mesmo ainda sendo no futuro, o jogo se passa cerca de 3 anos antes dos eventos do filme e mostra Connor salvando alguns companheiros.

Graficamente o jogo é mediano. O design é inspirado no filme, o que não parece ruim já que você irá percorrer cenários parecidos com os que apareceram no cinema e conseguirá captar o clima de cada missão. Os personagens não estão modelados com grande capricho, mas estão longe do ridículo. Outro aspecto que não faz feio é a trilha sonora, que acompanha bem a ação, mas não chega à se destacar até porque a dublagem é modesta.

John Connor consegue fazer de qualquer coisa uma cobertura para se proteger da saravada de tiros dos inimigos. A missão se resume à se esconder e atirar, enquanto seus companheiros o ajudam dando munições extras e atraindo a atenção dos inimigos.  Mas quem faz a maior parte do trabalho é sem duvida o jogador.

Algumas características dos jogos do gênero ficaram debilitadas e as poucas que não decepcionam são básicas até demais. Não há inovação em momento algum. Os produtores resolveram não apostar em novidades enquanto executaram a fórmula de sucesso. O problema é que eles não conseguiram introduzir isso de forma certa no título, que tinha potencial.

Certas passagens do jogo tentam quebrar a monotonia, mas são quase tão lineares e tediosas quanto o combate à pé. Ocasionalmente você irá encontrar uma nave, que pode ser destruída com mísseis. Mas no geral é sempre o mesmo, e digo mais, se não é emocionante na primeira vez, como você imagina que é na décima?

A experiência seria menos traumática se não fosse pelos loads de mais de dez segundos que acontecem com frequência. Na verdade você vê uma tela de carregamento toda vez que morre e elas são tão irritantes que você irá lutar para sobreviver à fim de não vê-las. O que é difícil já que o único jeito de recuperar sua vida é aniquilando todos os inimigos do cenário. Só há um detalhe: como diabos você irá enfrentar uma horda de robôs assassinos com pouca vida?

Para completar, o jogo apresenta sérios bugs. Eu diria que de longe o pior deles é o assombroso ataque melee dos exterminadores. O lance é que esses “socos” matam Connor INSTANTANEAMENTE. Não, o bug não é o fato de você morrer com apenas um soco. Frenquentemente, você esté bem protegido em um cover enquanto o exterminador usa seu ataque corporal muito longe de você. Sem ele encostar em seu personagem você está morto. Questão de 1 segundo. Rápido né? Some isso ao fato dessa situação frustrante ser seguida por um load de mais de 10 segundos. Agora sim, é frustrante.

Chegando ao final dessa análise eu revelo o objetivo da mesma. Venho por meio desta página clamar para que você, leitor, FIQUE LONGE deste jogo. Nem o mais fanático pela franquia irá se divertir com uma produção tão mal acabada e sem criatividade. Não há nenhum extra e portanto o fator replay é zero. Para uma franquia com tanta história, isso é ridículo.

Uma curiosidade que me surpreendeu foi o fato do jogo ter sido legendado em PT-BR, o que me faz pensar no tempo que gastaram trabalhando em múltiplos idiomas quando poderiam estar resolvendo os problemas básicos do jogo. Se me permitem dizer, Terminator: Salvation não tem salvação.

Mais & Menos

+ Acaba rápido

+ Legendado em PT-BR

– Enredo pouco interessante

– Falta variedade de armas e inimigos

– Loads irritantes

Notas

Apresentação: 4,0

Gráficos: 6,0

Som: 6,0

Jogabilidade: 6,0

Diversão: 4,0 (x2)

Média: 5,0

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized. Tags: , , , , , , .

Associação de críticos divulga lista dos Melhores da E3 Entrevista com a Remedy sai hoje!

9 Comentários Add your own

  • 1. Grigory  |  junho 17, 2009 às 12:51 pm

    ah os gráficos são feios, mas a ambientação bem com cara do filme fico legal… o que fode é os loads, esse bug maldito do exterminador.. e tive alguns com cover também…

    mas não me arrependo de ter jogado, teria se tivesse pago 200 reais(tá 20 reais já me arrependeria)

  • 2. Alex  |  junho 17, 2009 às 1:40 pm

    a ambientação é a unica coisa q eu gostei desse jogo.é bem ruim.bom review

  • 3. André Luiz  |  junho 17, 2009 às 2:12 pm

    Esse jogo é muito tosco!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 4. Tiago Medeiros  |  junho 17, 2009 às 2:48 pm

    Nossa, eu achei demais esse game… Gráficos estonteantes, enrredo envolvente e mecanica muitoo além de Gears Of War.

    HAIUAHaIUhauiAhaiauhaui … M E N T I R A haiuAhAIUA

    O Game é tosco mesmo
    AHUIAHiauhauia

  • 5. Fernando  |  junho 17, 2009 às 2:51 pm

    /\ Faz isso não cara, quase caí da cadeira…

  • 6. Epic Fail Troll  |  junho 17, 2009 às 8:08 pm

    o jogo é realmente horrivel.
    vale pra quem curte ter um gamescore alto, pois são 1000 pontos em praticamente 2hrs

  • 7. Fernando  |  junho 17, 2009 às 11:02 pm

    @ Epic Fail Troll

    Cerca de 4 horas se for a primeira partida no Hard.

    Mas é verdade, são 1000 pontos de bandeja.

  • 8. André Luiz  |  junho 17, 2009 às 11:07 pm

    Poxa thiago por um breve momento achei que vc estivesse falando sério, felizmente era só brincadeira. vlw ae!!!

  • 9. Metahler  |  junho 19, 2009 às 1:21 am

    eu gostei desse jogo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Seções

Arquivo


%d blogueiros gostam disto: