Sonic Unleashed – Review

dezembro 17, 2008 at 3:24 pm 16 comentários

e3-sonic-unleashed1

Produtora: Sonic Team              Distribuidora: SEGA

Gênero: Plataforma/Ação/Aventura

Plataformas: Xbox 360 e PlayStation 3                   Analista: Roberto Guedes

Sonic é um dos personagens mais famosos da indústria de videogames. Seus primeiros jogos ainda são muito jogados por meio de emuladores e, também, na Xbox LIVE, onde Sonic the Hedgehog (1991) está disponível. Infelizmente, após Sonic Adventure 2, Sonic começou a cair de qualidade.

Jogos que são pura invenção, como Sonic Heroes, e outros que possuem uma boa idéia, mas muito mal executada, como Sonic the Hedgehog (2006) preocuparam os fãs, e a SEGA. A empresa decidiu então voltar ao que fez a série ser um sucesso.

Juntando a jogabilidade dos primeiros jogos em 2D, com a jogabilidade 3D de Sonic Adventure (tanto que o nome de Sonic Unleashed no Japão é Sonic World Adventure 3), além da duvidosa criação do Werehog, a promessa é de que Sonic voltaria ao sucesso das origens. Veremos…

Sonic RPG

sonic-screen3

De fato, a base principal do jogo é Sonic Adventure 1, onde a exploração acontecia, porém sem tantos personagens jogáveis. Algumas fases são definitivamente baseadas neste jogo, como a fase do Tornado, avião construído por Tails e algumas mais “radicais”, no sentido de aventura mesmo.

O jogo também apresenta algumas novidades. O jogador pode decidir por escolher qual caminho quer seguir, e optar por não seguir o mesmo caminho que o jogo indica e seguir para outro continente. As lojas acabaram, e no lugar delas, você pode evoluir o seu personagem no final de cada fase, em determinadas características.

Até aí tudo bem. Infelizmente, o Sonic Team não leu as críticas do primeiro Sonic Adventure, que diziam que Sonic não era o tipo de jogo que precisava de exploração. Isso foi corrigido na segunda versão, onde eram apenas missões, e voltou agora na, digamos, terceira.

Outro problema é que o jogo exige que você possua alguns itens para abrir algumas fases, exigindo a exploração não somente de fases, mas também das cidades, o que acaba quebrando o ritmo de adrenalina logo após uma fase com o ouriço azul.

Em termos de história, a trama agora é exclusiva ao Sonic, ao contrário de antes, que dividia em vários personagens. Quem é atingido pelo poder que transforma em lobisomem é o Sonic. Quem vive o drama de não querer ser visto como Werehog é ele também. E quem precisa devolver a paz ao planeta e resgatar o poder das esmeraldas do caos é, também, o Sonic. E acreditem, foi para o bem da série.

Engine que faz bonito

sonic_graficos

A Hedgehog Engine foi feita especialmente para esse jogo. E mostra que a Sega decidiu definitivamente por dar um estilo mais casual ao jogo. As pessoas possuem faces simples e demonstram suas emoções com desenhos que aparecem em volta de seus rostos. Se ela está depressiva, por exemplo, lágrimas irão aparecer.

Isso também é mostrado no desenho dos inimigos do Werehog. Simples e fantasiosos, eles possuem um estilo totalmente diferente dos inimigos do Hedgehog, que são, no geral, robôs.

As texturas do cenário são bem simples, já que o jogo não é do tipo que exige um detalhe maior. E de fato, não vão ser percebidas, principalmente nas corridas de Sonic em alta velocidade. Já nas fases do Werehog, elas são. Mas não estão ruins. O problema é que, com o tempo, o cenário vai ficando repetitivo e cansativo, e muitas fases, parece que você está na mesma fase que jogou algum tempo atrás.

Por último, vale destacar que as CGs do jogo são magníficas, como já era de se esperar. Valem a pena ser vistas, além de serem curtas, o que facilita para quem não quer ficar vendo a história do jogo.

Dois estilos diferentes de se jogar

sonic_jogabilidade

A dúvida maior dos fãs de Sonic é a  divisão entre a adrenalina de correr sem parar e fases mais lentas. Para facilitar o entendimento, vou abordar cada um desses estilos separadamente, e depois vou interligar, para ver como eles funcionam no contexto do jogo.

Do lado de Sonic The Hedgehog, o Sonic Team decidiu aceitar as sugestões dos fãs de colocar uma jogabilidade 2,5D. Ou seja, ela se divide em momentos 3D, onde a câmera está atrás do personagem, e quando a câmera mostra o cenário de lado, lembrando os primeiros Sonic do Master System e do Mega Drive. Isso também obrigou a mudança de câmera, que era a mesma desde o primeiro Sonic Adventure e já se mostrava defeituosa. Neste jogo, ela não atrapalha em nenhum momento.

Os ataques foram modificados. Agora, se você está correndo e aperta o botão de ataque, você acelera mais ainda e atinge seus inimigos. O impacto os destrói. Ponto positivo para que não quer parar de correr. O desejo de manter a adrenalina até o final é tanta que os puzzles não existem, as fases são curtas e tem seus momentos mais empolgantes quando alguma coisa diferente acontece, como correr em cima de uma baleia.

Do lado do Sonic The Werehog, a jogabilidade se torna mais lenta, com mais puzzles e se parece um pouco mais com os jogos action-melee. É claro sem a violência e multilações destes, mas com controles semelhantes. A movimentação do Werehog é um pouco confusa. Quando você usa um dos gatilhos para correr (no caso do PlayStation 3, R2 ou L2), e o analógico para virar, muito provavelmente você vai errar, dada a imprecisão desta combinação.

No combate, a jogabilidade é boa, mas acaba se tornando repetitiva com o tempo. Isso também é influenciado pela fases serem um pouco mais longas e com muitos combates. Você não vai achar repetitivo em uma apenas, mas no acúmulo destas, ainda mais se for jogar duas vezes seguidas à noite.

Interligando as duas, percebe-se que a criação do Werehog foi feita única  e exclusivamente para não deixar o jogo repetitivo demais. De fato, a variação é até interessante, mas o contraste é muito grande. Uma é muito rápida e outra muito lenta; uma é curta e outra é longa, e assim vai. Talvez seria melhor usar algo mais próximo da velocidade do Sonic. Como ponto positivo, fica o uso dos “quick-time events” (para quem não conhece, quando você precisa apertar determinado botão que aparece na tela), que funciona muito bem em ambos os lados.

Junto a isso, a sensação de adrenalina ainda fica mais restrita devido ao já citado sistema de abrir fases colecionando itens. Em alguns momentos, você deve colecionar 10 para abrir algumas fases. Se você não tem, o problema é seu e terá que procurar, o que desestimula o jogador. Não me entendam mal, eu gosto de explorar. Mas existem jogos que não valem a pena usar esse sistema, e Sonic é um destes.

Como sempre…

sonic-unleashed-werehog

Como não é surpresa, a trilha sonora de Sonic é espetacular. Mais uma vez, o Crush 40 fez algumas músicas que realmente valem a pena serem ouvidas. Mas que fique claro: nem todas são excepcionais, e acabam enjoando com o tempo. Um exemplo é a que se inicia quando Sonic The Werehog entra numa batalha. Um jazz começa a tocar, e é a única música de combate.

Na dublagem, a equipe de produção manteve os mesmos personagens dos últimos jogos. E não teve alteração nenhuma, nem para melhor, nem para pior. São boas dublagens, mas nada mais que isso.

Conclusão

O Sonic Team conseguiu realmente recuperar o espírito de Sonic. E até conseguiu melhorar, comparando com as antigas incursões. A entrada do Werehog não foi ruim, mas faltou interligar os dois lados, e deixar as fases à noite menos repetitivas. Na parte gráfica, o jogo faz bem, mas não é brilhante. Destaque também para a trilha sonora, que manteve a qualidade típica da franquia.

Mais & Menos

+ Sonic está de volta;

+ Gráficos bem feitos;

+ Trilha sonora de qualidade;

+ Uma câmera boa!

+ A jogabilidade do Werehog é boa, mas…

– …há um contraste grande entre os dois lados;

– Exploração não é a área dos jogos de Sonic;

– Queremos apenas missões!

Notas

Apresentação: 8,0

Gráficos: 8,5

Jogabilidade: 8,5

Som: 9,5

Diversão: 8,0 (x2)

MÉDIA: 8,4

Entry filed under: Uncategorized. Tags: , , , , , , .

Famitsu detona White Knight Chronicles Belíssimo trailer de Star Ocean: The Last Hope

16 Comentários Add your own

  • 1. Ichigo  |  dezembro 17, 2008 às 3:33 pm

    Nossa, pelo review eu achei que iria tirar no máximo 8..

    Cara eu tentei, tentei mesmo, joguei, joguei denovo, joguei mais uma vez, mas não deu não.. esse contraste entre o Sonic normal e o transformado, tiraram qualquer graça do jogo para mim, muito lerda aquela porr* de Werehog, os mapas são chatos pracaramba(Os do Werehog), longos demais, e quando acaba, ainda vem 10 minutos de papo furado e mais 10 de exploração fajuta ¬¬

    Me arrependi amargamente.. esse é um dos jogos que eu “fui pela cabeça dos outros”, sempre me arrependo uhehuee
    Dark Sector foi o primeiro.. nem preciso falar o quanto eu não gostei(mas é melhor que Sonic)..

    A CG do inicio de Sonic, é muito foda, pena que o jogo não corresponde a ela.. o mundo partindo e aquele bixo aparecendo, daria perfeitamente como um chefe final de algum Final Fantasy da vida hehe

    Bem é isso, eu dou 6 pelo oque eu joguei, jogo muito ruim, Sonic agora só 2D.

  • 2. khorino  |  dezembro 17, 2008 às 3:43 pm

    É, pelo Werehog tiraria 6 mesmo. Mas tem as fases do Sonic e tem outros aspectos do jogo também.

  • 3. Ichigo  |  dezembro 17, 2008 às 3:45 pm

    Retiro oque eu disse: Dark Sector não é melhor que Sonic, estava envolto de trevas quando eu disse isso.

    Se voce pegar uma porção de merda, e ligar um fio de um controle de PS2 nele, voce vai se divertir mais doque jogando Shit Sector.

    Jogo medíocre.

  • 4. W35L3Y BB0  |  dezembro 17, 2008 às 4:36 pm

    Finalmente o review saiu xD
    Até agora vcs foram os unicos justos com SU, realmente merecia um 8,4 e não a nota que estão a dar em sites como gamespot e tais ¬¬

  • 5. Renato  |  dezembro 17, 2008 às 5:59 pm

    Afinal, vale ou não apena pegar?!? 😀

  • 6. khorino  |  dezembro 17, 2008 às 6:18 pm

    Cara, compra se você gostar da proposta do jogo. O que eu analisei aqui é se essa proposta funciona ou não. Mas comprar ou não deve ser decisão sua.

  • 7. Spartan1590  |  dezembro 17, 2008 às 7:11 pm

    Ótimo review, joguei a demo e achei bem legal o game

  • 8. Flauber Vieira  |  dezembro 17, 2008 às 9:14 pm

    Cada dia que passa eu crio a certeza que eu fui o único no mundo que gostou do Werehog. o.O
    A sei la, eu joguei, rejoguei, e continuo achando bacana, encaro como dois jogos dentro de um, literalmente, acho que isso me ajudou psicologicamente a fugir da mudança radical entre os modos, sem contar que o werehog me lembra muito algo como Kung Fu Panda(q eu achei simpatico) e um banjo kazooie mais completo (queria q o banjo do 64 tivesse lutas assim)
    Num vou dizer que acho esse sonic perfeito, porem, acho que a Sega(akeeela produtora que me da calafrios e agonia no juizo) me fez crer que não é so a Rare que sabe fazer um adventure legal. ^^

  • 9. khorino  |  dezembro 17, 2008 às 10:10 pm

    Sim, mas se for analisar, os cenários são repetitivos e o contraste faz com que seja mais desestimulante jogar.

    Não é ruim, ela é bem feita, como eu disse, mas tem esse problema.

  • 10. Dimas Cyriaco  |  dezembro 17, 2008 às 10:54 pm

    Bela review cara!
    Vou dar uma chance ao jogo assim que tiver tempo.
    Abraço

  • 11. hardcoregaming  |  dezembro 17, 2008 às 11:05 pm

    Belo review Roberto!

    Ainda não joguei, mas tenho esperanças que o jogo seja mesmo bom!

    Só achei alta a nota pra SOM… pela dublagem q eu vi nos trailers acho q não merecia um quase 10 xD

  • 12. Kevin  |  dezembro 17, 2008 às 11:50 pm

    A trilha sonora é tão boa como sonic the hedgehog, o anterior a esse?

  • 13. Fernando  |  dezembro 18, 2008 às 8:24 am

    Pelo pouco que joguei dele prefiro não opinar, mas gostei do review como sempre.

    Esse jogo está na fila, assim que terminar Prince of Persia e Nuts and Bolts jogarei seriamente Sonic Unleashed.

    Sou muito fã do personagem.

  • 14. Marcus Cardoso  |  dezembro 18, 2008 às 6:18 pm

    eu to quase zerando, to curtindo o jogo, achei muito legal a exploração dele, dá um puta replay nas fases do SONIC!
    o jogo é ENORME, tem país q tem 12 stages.
    jogar com o Werehog me enojou no começo, mas depois fui percebendo q era bonzinho, principalmente pq é equilibrado e às vezes pode ser desafiador! E eu não achei repetitivo jogar com o Werehog, aliás, acho q mandaram bem na mecanica de combate q lembra muito GOD OF WAR, só q há falahs chatinhas nos controles.

  • 15. Leo  |  dezembro 29, 2008 às 12:04 am

    Eu Joguei e achei ótimo, pra mim tá perfeito! Ótimo mesmo!

  • 16. Knight  |  janeiro 13, 2009 às 9:29 pm

    boa review. respeito a opiniao de quem escreveu, mas discordo quando disse que as fases de exploração sao mas. Em jogos como o sonic heroes ou shadow the hedgehog senti a falta dessas partes, em que havia algum tempo para respirar e para se fazer o k se kizesse. As fases do werehog nao as acho repetitivas, porque quando se ganha mais experiencia vai se desbloqueando novas combos. Talvez seja verdade que as vezes essas fases duram um pouco demais, mas continuo a acha-las muito divertidas.

    Tambem acho que os graficos deviam ter melhor nota. Podem nao ser os melhores da ps3 ou xbox360, mas sao mt detalhados e deve ter sido muito dificil por a camara a seguir o sonic com tanta perfeiçao naquelas partes em que ele vai a toda a velocidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Seções

Arquivo


%d blogueiros gostam disto: